Idoso acha amigo “Gil” morto em quintal na Vila Marli

Idoso acha amigo “Gil” morto em quintal na Vila Marli

25 de novembro de 2021 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Assassinato brutal ocorreu na madrugada

Por TERO QUEIROZ – 25/11/21 às 09H19 atualizado em 25/11/21 às 09H46

Gilmar foi morto no quintal da casa que vivia, no bairro Vila Marli. Foto: Cleber Gellio do CAMPO GRANDE NEWS

Gilmar da Silva Costa, sem idade definida, foi encontrado morto às 2h desta quinta (25.nov.21) com diversos sinais de facadas, no quintal de sua casa na Rua Ovideo de Paula Corrêa, na Vila Marli em Campo Grande (MS).  

Segundo registro de ocorrência, o idoso João Francisco Pires Ávila, de 70 anos, encontrou a “porta do quintal aberta”, desconfiou e gritou pelo amigo, no entanto, não teve uma resposta. Desconfiado, o amigo entrou no quintal e encontrou o amigo “Gil” (conhecido por esse apelido) caído em seu quintal e cheio de sangue.

Diante disso, com medo, o idoso disse que chamou um conhecido que mora perto da casa de “Gil”, Leandro de Barros Loureiro, esse que entrou no quintal e ao ver “Gil” caído, acionou a Polícia Militar.  

De acordo com a Polícia, uma irmã da vítima, Jussara Silva Costa, de 43 anos, foi quem identificou “Gil”, isso porque ele não estava com documentos. O irmão não soube precisar a data de nascimento de “Gil”.  

“(sic) A guarnição adentrou a residência, aonde encontrou dentro de um dos cômodos o cunhado Almir Rodrigues da Silva que é cadeirante e sofreu de um derrame e não consegue falar, posteriormente a guarnição informou ao Ciops sobre o acontecido e foi até o local a  UR 123 comandada pelo tenente médico Arakaki que constatou o óbito e também o perito Robson Bernardes para realizar os procedimentos de praxe,  juntamente com a equipe plantonista desta Depac Centro, onde foram constatados, diversos ferimentos de cortes, na cabeça, braços, mãos e  tronco”, explicou o registro

Ainda esteve no local uma equipe do Grupo de Operações e Investigações (GOI) da Polícia Civil.

Os investigadores apuraram que nenhum dos vizinhos disse ter escutado barulhos.

Foram apreendidos pela perícia no local, um par de chinelos, uma lâmina, um cabo de faca, um brinco e um molho de chaves, ficando sob cautela da perícia. 

O caso foi registrado como homicídio simples na Delegacia de Polícia do Centro (Depac-Centro).  


Compartilhar