Métodos de estudos: veja dicas para estudar melhor sobre qualquer assunto

25 de março de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Imagem: pixabay.com

A maioria das pessoas aprenderam a estudar de forma linear, ou seja, um professor explica o conteúdo e logo após as dúvidas são discutidas. Com a chegada da internet e o avanço da tecnologia, a democratização da informação permite o aprendizado sobre qualquer coisa em qualquer lugar. Um dispositivo conectado possibilita uma infinidade de conteúdos na palma da mão, inclusive, aulas ao vivo online ou gravadas.

Entretanto, essa avalanche de informações pode dificultar o aprendizado quando a pessoa decide estudar sozinha. Mesmo quando a tecnologia não é utilizada (lendo um livro físico, por exemplo) pode ser cansativo e moroso esse processo de aprendizado. Os métodos de estudo servem para facilitar a compreensão, trabalhar a gestão do tempo, o foco, o autoconhecimento e a organização.

Você sente dificuldades em estudar ou sabe que precisa de uma metodologia para aprender de forma mais eficiente? Selecionamos algumas técnicas para te ajudar nesse processo, veja abaixo e escolha aquela que melhor atende ao seu perfil.

Metodologias para estudar com mais eficiência

  • Mapa conceitual

Uma técnica para memorização e organização das ideias por meio de palavras-chave que qualquer pessoa pode consultar depois, principalmente, em assuntos mais complexos. O mapa conceitual funciona a partir de uma representação gráfica de um conteúdo que inicia com um tema central que vai puxando os outros.

No formato de organograma, os temas de estudo são colocados em círculos ou quadrados, com o tema central no topo. Por meio de setas cada assunto faz uma ligação com os demais, sem perder o foco do principal, como uma hierarquia. Isso facilita visualizar seu aprendizado, além de permitir o compartilhamento com outras pessoas, assim como, fazer consultas na hora da revisão.

Para facilitar e acessar de qualquer lugar, um ótimo site para fazer mapa conceitual muito utilizado por estudantes e empresas em diversas atividades é a ferramenta Miro, que oferece diversos modelos para inspirar a criação do seu mapa.

wiQF0OjafKdFadh4WKLJ6dDGu2ZoRk7ZeEznM_tvT43ix_x_A4V8EmAda3QX8V_9M--x93pUdJzPS7ppX_Wx_LKS0MvQidvPHCZT0dPYrv3H22M2o-C4IBCYlmFeO5a34iLNaxsZ
Imagem: ilustração mapa conceitual Miro

  • Mapa mental

A principal diferença entre o mapa conceitual e o mapa mental é a representação gráfica. Enquanto o primeiro visa organizar e ligar cada tema de forma hierárquica, o segundo utiliza um assunto central que dá origem a diversos outros à sua volta, como uma árvore cheia de galhos.

Geralmente, o mapa mental utiliza apenas uma palavra ou frase curta para representar cada ideia e pode ser usado imagens e outros elementos para expressar cada ideia. O objetivo é criar uma linha de raciocínio que permita a melhor compreensão e memorização. 

ZBnXncbqJo7ujkSwAlDLtNnvLja-ZAkAL1fB4Cgv2eTqXe6qAukBxwt6Qt-TGouRFkz3iFPy1LhAY-bSGFRiLOPu_GOY_c13fVvY3a1NEkNVro6QsIN5c56GywdRxbgUmeTmmHN3

Imagem: ilustração mapa mental Miro

  • Técnica pomodoro

Um dos modelos mais conhecidos, que pode ser aplicado em qualquer tarefa que exige concentração e foco. A técnica pomodoro é baseada em inserir pequenos intervalos durante um determinado período de tempo. 

Geralmente, a cada 25 minutos de imersão em uma tarefa, é aplicado 5 minutos de descanso. Você pode personalizar no formato que seja mais interessante para você, por exemplo, 45 minutos de estudos e 10 de descanso. Após repetir o ciclo por quatro vezes, faça um intervalo maior entre 20 e 30 minutos.

A técnica funciona porque pausas frequentes podem intensificar a agilidade mental e evitar o esgotamento junto à sensação de cansaço após longas horas de estudo.

  • Faça anotações

O cérebro aprende melhor quando mais de um sentido é estimulado. Portanto, ao realizar anotações do que você lê ou escuta, procure pontuar as ideias principais para rever depois.

Uma forma de criar anotações mais eficientes, além de tópicos e subtópicos, é o método Cornell. Ele consiste em criar uma coluna no canto esquerdo da página para anotar as palavras-chave e o tópico principal. Uma coluna maior no canto direito com as informações mais importantes do conteúdo e, por fim, ao final da página um retângulo com o resumo.

Veja o exemplo abaixo.

tlsaAZ_POV7AL1szvYvTl6aaqHs_rZPHLbH1YMvljuBBWg87sIW3XZa2F6N8PJv_CmF9JmxuBsiyFOAv_1NhK2HY-pko9hm9NXUqBH6geH8r6DJPVjjBWJLDHkBAE5jagHG_MQ8J

Imagem: Educa Mais Brasil

A partir de suas anotações crie fichamentos e resumos para ajudar em uma melhor compreensão do tema. Não esqueça de rever o conteúdo anotado após um período de tempo (3 dias, por exemplo).

  • Diversifique os temas que serão estudados

O cérebro fica cansado depois de um certo período de tempo, então para evitar que ele caia no piloto automático procure intercalar os temas que serão estudados.

Por exemplo, se você precisa estudar matemática, dedique cerca de 2h para a matéria e depois 2h para biologia. Isso ajuda a estimular o cérebro e evitar o cansaço de longas horas de estudo.

  • Método Robinson (EPL2R)

Um dos métodos mais fora do padrão que aprendemos  e estimula o questionamento e incentiva a pesquisa é o Método Robinson (EPL2R). Esse método é interessante porque pode ser facilmente utilizado com os demais.

Em resumo, significa explorar (E) o conteúdo de forma superficial lento títulos, subtítulos e resumos. Perguntar (P), que consiste em criar questionamento para serem respondidos posteriormente. Ler (L), etapa de aprofundamento e estudo, pesquise o máximo de informações. Rememorar (R), etapa para criar o seu próprio resumo, fazer fichamentos e até aplicar em outras metodologias como o mapa conceitual, por exemplo. E, por fim, repassar (R), que é a revisão.

  • Participe de grupos de estudos

Uma ótima opção para ampliar o conhecimento é a troca de ideias com outras pessoas. Um grupo de estudos possibilita ter outros pontos de vista discutidos sobre o mesmo tema, o que ajuda a estimular o pensamento crítico. Além disso, participar desse tipo de reunião traz um comprometimento maior com os estudos.

Outras vantagens: network, motivação, tirar dúvidas e etc.

  • Testes práticos

Os testes práticos consistem em refazer provas e testes antigos a fim de forçar o cérebro a pensar nos conteúdos estudados. Procure por esses materiais e tente refazê-los como se estivesse em um vestibular, por exemplo. 

Essa prática também contribui para entender o seu nível de afinidade com o tema e possibilita identificar os seus pontos a melhorar.

Antes de aplicar uma metodologia

Alguns hábitos ajudam a tornar o momento de estudos mais prazeroso e eficiente, além de aproveitar ao máximo a metodologia escolhida. Considere os seguintes pontos antes de começar a estudar:

  • Organização

De forma mais objetiva, organize seu espaço físico, crie um roteiro de estudos com os temas e o formato (podcast, livros, vídeos…) que irá estudar e determine quanto tempo irá se dedicar por dia àquelas atividades.

  • Disciplina

Não adianta criar uma organização e um cronograma perfeito se não consegue cumpri-lo. A disciplina é fundamental para que qualquer método de estudos funcione. Determine um horário de início e fim para os estudos, mas comece com pequenos desafios e vá aumentando conforme você se adapta.

  • Autoconhecimento

Entender como você funciona é a chave para adaptar um método de estudos às suas necessidades. Faça uma análise sobre quanto tempo você consegue manter o foco e crie mecanismos para aproveitar melhor esse tempo. Veja também o que faz você se distrair com facilidade e aprenda a driblar essas pequenas distrações.

  • Alimentação

Se alimentar corretamente também influencia no seu ânimo e disposição, portanto procure ingerir alimentos como legumes, verduras e frutas para manter o bom funcionamento do corpo. Veja algumas dicas de alimentos que ajudam a manter a energia na hora do aprendizado.

Não estude demais

Estudar obsessivamente pode trazer uma falsa sensação de aprendizagem, além de causar estresse, ansiedade, insônia, enxaqueca, entre outros. Isso porque o cérebro precisa de um tempo para recarregar as energias e processar as informações absorvidas. 

O equilíbrio emocional e o bem-estar do corpo são fundamentais para qualquer aprendizado, por isso as metodologias de estudos focam tanto na gestão do tempo e na organização. Dessa forma, será possível equilibrar estudos e outros aspectos da vida.


Att,Aline Matos


Compartilhar