Ministério da Saúde anuncia novo esquema de vacinação contra a Covid-19; veja o que muda

Ministério da Saúde anuncia novo esquema de vacinação contra a Covid-19; veja o que muda

1 de junho de 2024 Off Por Ray Santos
Compartilhar

O Ministério da Saúde lançou uma nova campanha de vacinação contra a Covid-19 com a vacina monovalente Ômicron, variante XBB, da farmacêutica americana Moderna. Com isso, a partir de agora, o esquema vacinal será destinado a crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade como rotina no calendário de vacinação e estratégia de campanha para pessoas acima de 5 anos que integram o grupo prioritário.

Pessoas fora dos grupos prioritários que tomaram uma ou mais doses passam a ser consideradas imunizadas contra o vírus.

O novo esquema de 2024 foi avaliado pela Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (CTAI) e levou em consideração as recomendações atuais da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a priorização da vacinação para os grupos de alto risco e aqueles mais expostos.

De acordo com o informe técnico divulgado pelo Ministério, o perfil de segurança da vacina monovalente Covid-19 XBB é bem conhecido devido ao seu amplo uso em outros países, sendo semelhante ao das versões bivalentes, com a vantagem adicional de ser adaptada para a variante XBB.1.5.

As vacinas disponíveis nos postos de vacinação continuam efetivas contra as variantes em circulação no país, reforça o órgão. O esquema vacinal completo, incluindo as doses de reforço quando recomendadas, é essencial para evitar formas graves da doença e óbitos.

Os interessados em receber a vacina contra a Covid-19 devem procurar a Unidade de Saúde da Família (USF) de referência do seu bairro, munidos de documento de identificação e carteira de vacinação, caso a possuam.

ESQUEMA VACINAL

Veja como ficou o esquema vacinal recomendado pelo Ministério a partir de agora:

Para crianças de 6 meses a menores de 5 anos, a vacina foi incluída no Calendário de Vacinação;

Dose anual ou semestral para grupos prioritários com cinco anos de idade ou mais, independentemente do número de doses prévias recebidas;

Vacinação de pessoas com mais de cinco anos que não pertencem aos grupos prioritários: poderão receber uma dose caso não possuam comprovação vacinal anterior;


Compartilhar