Olimpíadas científicas enriquecem a formação e incentivam a busca por carreiras acadêmicas

14 de abril de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Carolina Sperandio, coordenadora pedagógica do Colégio Rio Branco, explica como escolas podem estimular seus alunos a participarem das olimpíadas e qual o impacto desse processo na aprendizagem de conteúdos e habilidades

Foto: org.br/Google

Competições que testam o domínio de diversas áreas do conhecimento: as olimpíadas científicas têm como objetivo estimular a busca por saberes, auxiliar a compreensão de temáticas centrais na formação e colocar-se como incentivo a carreiras acadêmicas.

De amplitude nacional ou internacional, as competições são direcionadas a jovens estudantes da formação básica e podem gerar impactos significativos na aprendizagem de conteúdos e habilidades. Dessa forma, como as escolas podem estimular a participação de seus alunos nessas atividades?

“Os professores fazem a divulgação por diferentes canais de comunicação, explicando os benefícios à formação e incentivando uma competição saudável e leve”, relata Carolina Sperandio, coordenadora pedagógica do Colégio Rio Branco, referindo-se à 2ª fase da Olimpíada Brasileira de Biologia (OBB), que ocorreu no dia 08 de abril.

Ela acrescenta que os resultados obtidos em edições anteriores despertam o desejo de participação em competições escolares. 

Com os estudantes inscritos, abre-se a oportunidade de estudo e debate com novas perspectivas e olhares, tornando a fase da preparação essencial.

Para além da revisão de provas de anos anteriores, que trabalha conteúdos recorrentes nas salas de aula, o momento propicia o desenvolvimento de competências socioemocionais e habilidades não cognitivas.

Esse processo também irá favorecer os vestibulandos, que devem demonstrar foco, ritmo, controle do tempo, equilíbrio emocional e conhecimento aplicado.

Já os conhecimentos construídos vão além da olimpíada, pois essas levantam discussões essenciais do contexto global.

“Vemos nessas competições, cada vez mais, o surgimento de temas, como “erradicação de doenças”, que ressaltam a importância e urgência em estimular o interesse dos jovens pela pesquisa científica.

Esse incentivo é a única saída viável para problemas sociais de grandes proporções”, explica a coordenadora.

As diversas etapas dessas olimpíadas científicas, que dão aos estudantes o espaço para testar seus conhecimentos, depois convertem-se no descobrimento de aptidões e interesses.

“Participar dessas provas serve como parâmetro, é um ensaio para que os alunos se aproximem do mundo acadêmico, compreendendo seu sentido maior e sua exigência pela construção de conhecimento com profundidade”, conclui Sperandio.

Sobre o Colégio Rio Branco (www.crb.g12.br) – O Colégio Rio Branco é uma das mais reconhecidas instituições de ensino do Brasil, com unidades de Educação Infantil ao Ensino Médio em São Paulo (Higienópolis) e Cotia (Granja Vianna).

Criado em 1946 pela Fundação de Rotarianos de São Paulo, o colégio é associado à UNESCO e orienta seu projeto pedagógico na aquisição de conhecimentos e competências permeadas pelo diálogo, respeito à diversidade, atitude crítica e edificada em princípios éticos e de solidariedade.

Mira Com,.


Compartilhar