Pandemia fez aumentar procura por seguro auto

24 de março de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

A pandemia evidenciou a necessidade de ter proteções diante dos riscos. Os seguros mais procurados foram os contra roubos e furtos de veículos, os seguros de vida e os seguros de viagem

De acordo com o Inside Fintech Report de julho de 2021 da Distrito no primeiro semestre, US$ 49 milhões foram investidos em empresas de tecnologia no mercado de seguros, mais da metade do investido em 2020, US$ 92 milhões. De acordo com o informe, desde 2011, US$ 349 milhões foram investidos neste setor, mas em torno de 40% desse capital foi adquirido nos últimos dois anos.

Atualmente o mercado de seguros procura oferecer ao cliente uma boa experiência, que começa desde o primeiro contato. O aproveitamento das novas tecnologias tem um papel fundamental para atingir este objetivo, por isso se observa uma grande inversão neste segmento.

As inversões em tecnologia não só permitem uma melhor experiência ao consumidor com a desburocratização e a automatização dos processos de contratação, consultas e gestão, também permite que as seguradoras fiquem mais próximas aos segurados e aos futuros clientes.

De acordo com a Distrito, até 2020 foram mapeadas 113 insurtechs no país, 76 mais que as registradas em 2015:

  • 54 delas atuam na procura de soluções tecnológicas para melhorar os processos das seguradoras,
  • 35 oferecem serviços novos e inovadores,
  • 16 atuam como canais de distribuição de seguros e
  • 8 oferecem serviços adicionais para as empresas de seguros

No relatório de 2021, apenas 109 insurtechs foram mapeadas.

Essas empresas trouxeram grandes benefícios para o mercado de seguros tradicional, principalmente fazendo intermediação entre clientes e seguradoras ou gerando parcerias que garantem o aumento das vendas.

Muitas surgiram em hubs de aceleração independentes, outras foram criadas pelas próprias seguradoras, como a Porto Seguro, por exemplo. Mas, nos últimos anos, os principais incentivos para o desenvolvimento destas empresas foram a pandemia e a Susep (Superintendência de Seguros Privados).

Ambas colaboram com o desenvolvimento tecnológico de diferentes formas e colocam o cliente no centro da operação, pois é ele quem decide qual cobertura contratar de acordo com sua capacidade econômica e com o tempo que quer ter o serviço.

A recuperação do setor segurador brasileiro segue firme em meio à pandemia

A pandemia evidenciou a necessidade de ter proteções diante dos riscos. É neste contexto que se enquadra o aumento da contratação de seguros: de acordo com a Superintendência de Seguros Privados (Susep), o setor brasileiro de seguros arrecadou 275,21 bilhões de reais no acumulado até novembro, o acumulado de 2021 apresentou crescimento de 13,1%. Com crescimento de 38,7% em relação ao ano passado, a linha de negócio rural foi destaque e já supera arrecadação de 2020. Os seguros das linhas responsabilidade civil (RC), transporte e patrimoniais também se destacaram, com crescimento acima de 20% na arrecadação de prêmios em 2021. Nos seguros de pessoas, destaca-se o desempenho do seguro de vida, que cresceu 17,3% em relação ao mesmo período de 2020. Enquanto o seguro de auto, com participação de 42% no total de “Danos”, aumentou 8%: embora pareça um número baixo em relação aos demais seguros, a notícia é positiva porque foi o mais afetado pela pandemia em 2020, quando teve uma queda de mais de 2%.

Investimentos em tecnologia de seguros aumentaram devido à pandemia (Reprodução)

Por Melisa Murialdo


Compartilhar