Papa condena suicídio assistido; Parlamento italiano discute regulação

Papa condena suicídio assistido; Parlamento italiano discute regulação

9 de fevereiro de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

© REUTERS / Remo Casilli Internacional

Projeto, que começaria a ser discutido nesta quarta, divide políticos

Publicado em 09/02/2022 – 16:13 Por Philip Pullella – Repórter da Reuters* – Cidade do Vaticano

Reuters

O papa Francisco condenou hoje (9) o suicídio assistido como um desvio inaceitável da ética médica, enquanto o Parlamento italiano retomou as discussões sobre uma lei para regular o procedimento.

Na audiência geral das quartas-feiras, Francisco elogiou as práticas de cuidados paliativos com o objetivo de ajudar pacientes terminais a viverem da maneira mais confortável e humana o quanto for possível.

“Mas precisamos ter cuidado para não confundir essa ajuda com desvios inaceitáveis que levam a assassinatos”, disse Francisco. “Precisamos acompanhar a morte, não provocar a morte ou auxiliar qualquer tipo de suicídio.”

A Corte Constitucional da Itália descriminalizou parcialmente o suicídio assistido sob certas condições, se as autoridades sanitárias locais e um conselho de ética aprovarem. Mas o tribunal também afirmou que o Parlamento deve aprovar uma lei para regular a prática.

O projeto de lei, que começaria a ser discutido nesta tarde, permite que pacientes terminais busquem o suicídio assistido pelo sistema de saúde nacional, e também protege médicos de eventuais processos legais.

Contudo, os partidos políticos italianos continuam profundamente divididos, com a centro-esquerda apoiando o projeto de maneira geral, e a centro-direita fazendo oposição.

*É proibida a reprodução deste conteúdo.


Compartilhar