Pedro Pedrossian, mito esquecido

Pedro Pedrossian, mito esquecido

8 de fevereiro de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Na foto, Pedrossian ao lado da esposa Maria Aparecida e do bisneto João Pedro, comemora 85 anos. (Foto: Arquivo Pessoal)

Polêmico, difamado e ao mesmo tempo admirado e mado. São algumas características que marcam a personalidade do homem que fez história em Mato Grosso e Mato Grosso do sul e que se chamava Pedro Pedrossian.

Pedrossian foi governador por três vezes, de 1966 e 1971 no então Mato Grosso Uno. Em 1980, foi nomeado para comandar Mato Grosso do Sul, posto que retomou em 1991, quando foi eleito nas urnas.

Com a vida forjada nos caminhos de ferros da Noroeste do Brasil, o engenheiro civil Pedrossian deveria estrear na política sendo vice de Lúdio Coelho.

O Lúdio, candidato da UDN, foi a Bauru e me convidou para ser o vice. Mas nunca mais tocou no assunto. De qualquer forma, aquela medida do Lúdio fez com que tomassem conhecimento da minha existência como político. Fui escolhido para ser candidato”, relatou o próprio, em entrevista ao Campo Grande News em 2013.

Na década de 1960, sem condições financeiras, ele embarcou em um avião de pequeno porte, “às vezes nem a bússola funcionava”, e na aventura de rodar o extenso Mato Grosso, à época uno.

De repente, a população correspondeu às propostas e Pedro Pedrossian foi eleito governador.

Como Governador de Mato Grosso do sul, realizou grandes feitos, a exemplo o “Parque dos Poderes” obra da sua genealidade inconfundível. Engenheiro Civel, começou a sua vida profissional como Chefe da antiga Rede Ferroviária Federal em Três Lagoas-MS que detinha a famosíssima “NOB” noroeste do Brasil.

Em 1966 ainda na Noroeste do Brasil, Pedro Pedrossian deu seus primeiros passos como político. Tudo começou com o PTB da Capital quando foi convidado por Lúdio Coelho para ser seu vice, isso ainda no estado uno de Mato Grosso.

No seu primeiro mandato realizou uma das maiores obras da sua administração em Três Lagoas-MS. Não estou falado do Ginásio de Esportes, nem do Fórum e nem da Escola do Jomap. Refiro me à Galeria Pluvial da Avenida Rosário Congro.

Atualmente muitos tres-lagoenses desconhecem essa obra. Nos anos 80 Três Lagoas vivia o drama das enchentes. A Lagoa Maior extravasava e inundava todas as casas a seu redor. Foi aí que entrou mais uma vez a genealidade do grande mestre e engenheiro, Pedro Pedrossiam, governador do jovem estado Mato Grosso do Sul.

A Galeria pôs um fim nas enchentes da lagoa maior. Ela foi construída ao logo da Avenida Rosário Congro e ocupa toda extensão passando inclusive em frente aos prédios da antiga Estação Ferroviária da NOB e da antiga Prefeitura onde hoje mantém vários órgaõs.

A pedido de um grande amigo, o Assessor Especial do Vereador Antônio Enpek Jr, mais conhecido por “Toinhão” Frank Alves que me fez esse pedido e que deverá chegar até ao nobre vereador para se tornar uma proposição.

Esperamos que os políticos de Três Lagoas reconheça os feitos desse grande ex-governador que esteve três vezes frente ao Executivo Estadual e faça justiça dando dignidade ás suas realizações.

Pedro Pedrossian nasceu em Miranda, então Mato Grosso, em 13 de agosto de 1928, filho de João Pedro Pedrossian e de Rosa Mardini Pedrossian, ambos de origem armênia. Fez os estudos secundários em Mato Grosso e ingressou na Universidade Mackenzie, na cidade de São Paulo, formando-se em engenharia civil.

O ex-governador Pedro Pedrossian morreu na madrugada do dia 22 de agosto de 2017, uma terça-feira. De acordo com secretário de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto, o avô estava em casa. “Morreu dormindo, sem sofrimento”.

Com informações do CAMPO GRANDE NEWS

Ray Santos


Compartilhar