Pequeno produtor pode resistir mais à estiagem prolongada, afirma especialista da ESPM

Pequeno produtor pode resistir mais à estiagem prolongada, afirma especialista da ESPM

10 de junho de 2021 Off Por Danielsuzumura
Compartilhar

Medidas de economia hídrica são mais fáceis em propriedades menores

Porto Alegre, 10 de junho do ano 2021 – Os estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Goiás e Mato Grosso do Sul podem ser atingidos por uma forte seca entre os meses de junho e setembro, de acordo com o Sistema Nacional de Meteorologia (SNM). O alerta meteorológico não preocupa somente o setor de energia, mas também os produtores do agronegócio dos cinco estados. 

Para Keli Pereira de Oliveira, professora do Master em Gestão e Marketing do Agronegócio da ESPM Porto Alegre, a escassez hídrica atingirá todos os portes de produtores. “Tanto pequenos quanto grandes produtores estão preocupados com o longo período previsto para a seca. A quebra de safra pode ser grande, em especial nas maiores propriedades. A produção dos cinco estados está historicamente baseada em commodities, em especial na soja, milho, cana de açúcar, café, leite e carne”, afirma Keli.

De acordo com a especialista da ESPM, porém, os pequenos produtores têm vantagem comparados aos grandes, em períodos de estiagem. “Para o pequeno, é mais viável implementar medidas para poupar água. Por exemplo, utilizar irrigação por gotejamento, armazenamento em cisternas e reaproveitamento. Em grandes propriedades, que utilizam pivôs de irrigação, isso é muito mais custoso. O ideal é que todos os portes de produtores adotem ações anteriores aos alertas de estiagem”, diz.

Nova Pr,.


Compartilhar