PMA de Coxim monitora cardumes no rio Taquari e afluentes durante a piracema e apreende petrechos ilegais de pesca

12 de fevereiro de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Foto: PMA/MS

Campo Grande (MS) – O rio Taquari e alguns afluentes, como o rio Coxim e Jauru são piscosos e precisam de fiscalização constante, especialmente, no período de piracema, inclusive, devido a região desses rios ainda ter um índice grande de infratores que se arriscam na prática de pesca predatória.

Dessa forma, a PMA mantém equipes diuturnamente em alguns pontos de corredeiras, bem como vigiando os cardumes, inclusive, com uso de drones, para evitar a pesca no período proibido, algumas vezes, com petrechos ilegais do tipo rede, tarrafa, ou armando anzóis de galho e espinheis (petrechos proibidos).

Além da vigilância dos cardumes, uma das maiores preocupações da PMA na prevenção à pesca predatória é a retirada dos rios desses petrechos de pesca proibidos que são armados por infratores, principalmente as redes de pesca, os espinheis, boias e anzóis de galho, bem como o uso de tarrafas devido ao alto poder de captura e depredação de cardumes desses materiais.

Esse trabalho precisa ser constante, apesar da dificuldade de se prender os autores, devido ao pouco tempo de exposição para armá-los nos rios e normalmente à noite, sendo que alguns pescadores até residem nas proximidades dos rios.

Durante a fiscalização hoje (11) desde a madrugada, uma das equipes da Polícia Militar Ambiental de Coxim apreendeu uma rede e 15 anzóis de galho que estavam armados no rio Taquari, além de cortar uma corda de espinhel com 10 anzóis (petrechos proibidos) que foram retirados do rio. 

No dia (9), também no rio Taquari, um pescador foi visto por meio da câmera do drone, em fuga pela mata e abandonando uma tarrafa e uma rede, provavelmente por suspeitar de que o drone seria da PMA.

Os proprietários dos materiais ilegais não foram encontrados, porém, A PMA continuará em fiscalização preventiva, fundamental para evitar a depredação dos cardumes, especialmente, com uso desses tipos de petrechos ilegais que possuem alto poder de captura.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL – PMMS – (Contato – TENENTE CORONEL EDNILSON PAULINO QUEIROZ) tel. – 3357-1500


Compartilhar