Polícia Militar Ambiental de Bonito autua infratora em R$ 120 mil por descumprir embargo e continuar degradando áreas protegidas

18 de março de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Campo Grande (MS) – Policiais Ambientais de Bonito receberam denúncias, versando sobre a turbidez das águas do córrego chapeninha e afluentes do Rio do Peixe no município. Uma equipe foi ao local indicado pela denúncia ontem (17) e verificou que em uma fazenda localizada a 36km da cidade, havia a implantação de lavoura e pecuária dentro de áreas protegidas.

A proprietária do imóvel (70), residente em Dourados, havia concluído uma área agropastoril que havia sido embargada anteriormente, por estar dentro da mata ciliar (área protegida) da fazenda e isso poderia ser a causa da turbidez das águas.

AUTUAÇÕES E DEGRADAÇÕES MOTIVO DO EMBARGO

Durante vistoria, foi verificado que a propriedade rural possuía um projeto de recuperação de áreas degradadas e alteradas (PRADA), contudo, após levantamentos constatou-se que a responsável havia descumprido o projeto e não teria feito a recuperação de 120.000 m² de área de preservação permanente (APP). Segundo o cronograma de execução do PRADA, a proprietária teria que isolar a área por três anos, para recuperação da vegetação, porém isso não aconteceu.

A infratora, foi autuada administrativamente e multada em R$ 120.000,00. A autuada também poderá responder por crime ambiental de degradação de área de preservação permanente (APP). A pena é de um a três anos de detenção. A infratora foi notificada a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental estadual.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL – PMMS – (Contato – TENENTE CORONEL EDNILSON PAULINO QUEIROZ) tel. – 3357-1500

Fotos: PMA/MS


Compartilhar