Polícia Militar Ambiental de Campo Grande prende e autua em R$ 4,4 mil quatro pescadores por pesca predatória no rio Miranda e apreende 50 kg de pesca e petrecho ilegal de pesca

19 de setembro de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Campo Grande (MS) – Policiais Militares Ambientais de Campo Grande, que trabalham na operação Pesca legal, realizavam patrulhamento ambiental desde sexta-feira (16) em monitoramento aos cardumes no rio Miranda, no município de Jardim e prenderam quatro pescadores por pesca ilegal.

Os Policiais surpreenderam os pescadores, que praticavam pesca no barranco do rio e verificaram que eles praticavam pesca em local proibido (corredeira) e utilizando-se de petrecho proibido (tarrafa). Além disso, nenhum possuía a licença ambiental de pesca obrigatória.

Sábado (16), dois pescadores, de 30 e 35 anos, residentes em Jardim, foram presos, autuados administrativamente e foram multados em R$ 1.280,00 cada um, por praticarem pesca predatória, com tarrafa (petrecho proibido).

Eles estavam à margem do rio, próximo a corredeira da Cachoeirinha (local proibido), pescando com o petrecho ilegal. Foi realizada vistoria na caixa térmica dos pescadores e havia 17 exemplares de peixes das espécies curimbatá, pesando 12,5 kg.

Mesmo se não tivessem pescado no local proibido (crime), com petrecho proibido (crime), ainda tinham capturado pescado acima da cota permitida, que também é crime. A tarrafa e o pescado foram apreendidos.

As normas proíbem a pesca a 200 metros a montante e a jusante das cachoeiras e corredeiras, pois é alta a vulnerabilidade dos cardumes nesses locais dos rios.

A tarrafa é um petrecho proibido para a pesca e a cota de captura para a pesca amadora é de apenas um exemplar nativo, mais cinco exemplares de piranha, espécie esta, que não havia sido capturada.

Ainda no rio Miranda, próximo ao local conhecido como poço do Angico ontem (18), os Policiais abordaram dois pescadores, de 31 e 35 anos, também residentes em Jardim, quando praticavam pesca sem licença ambiental e tinham capturado 46 exemplares de peixes da espécie curimbatá (acima da cota permitida – crime), pesando 33 kg.

11 exemplares estavam abaixo do tamanho mínimo permitido para a captura por lei (crime). Duas varas de pesca e o pescado foram apreendidos. Os pescadores foram presos, autuados administrativamente e foram multados em R$ 1.440,00 cada um.

Os quatro infratores, receberam voz de prisão e foram encaminhados, juntamente com o material apreendido, à Delegacia de Polícia Civil de Jardim, onde eles foram autuados em flagrante por crime ambiental de pesca predatória.

Se condenados, poderão pegar pena de um a três anos de detenção O pescado será doado para instituições filantrópicas depois de periciado.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL – PMMS – (Contato – TENENTE CORONEL EDNILSON PAULINO QUEIROZ) tel. – 3357-1500


Compartilhar