Projeto vai promover a recuperação e conservação dos solos em propriedades de agricultura familiar

Projeto vai promover a recuperação e conservação dos solos em propriedades de agricultura familiar

10 de maio de 2024 Off Por Ray Santos
Compartilhar

O projeto será desenvolvido a partir de uma metodologia de construção coletiva do conhecimento

     A Embrapa Pecuária Sul está iniciando um projeto que visa a recuperação e conservação dos solos, deste que é a principal base para a produção de alimentos.

O projeto pretende abranger cerca de 300 famílias assentadas da reforma agrária nos municípios de Candiota, Hulha Negra e Aceguá, na região da Campanha, no Rio Grande do Sul. A iniciativa está sendo viabilizada com recursos do Ministério de Integração e do Desenvolvimento Regional e conta com o apoio da Cooperativa de Produção e Trabalho (Coptil).

         O projeto será desenvolvido a partir de uma metodologia de construção coletiva do conhecimento, com o envolvimento de todos os atores buscando soluções que aliem a produção com a conservação dos recursos naturais. Segundo o pesquisador da Embrapa Pecuária Sul Leandro Volk, uma das ações do projeto será a instalação de cinco Unidades de Aprendizado Coletivo (UACs), locais para experimentações, validação de técnicas e metodologias, e construção de alternativas.

“Nas UACs queremos também trazer os conhecimentos dos próprios produtores, que muitas vezes utilizam práticas e manejos que merecem ser replicadas”, destacou.

         Uma das primeiras ações será a realização de um diagnóstico da ocupação e uso da terra em toda a área envolvida no projeto, que conta com muitas unidades de produção de leite, mas também de lavouras e outras atividades.

Por meio de sensoriamento remoto e técnicas de geoprocessamento será feita uma retrospectiva histórica do uso da terra na área de abrangência da Coptil e também o monitoramento da situação atual.

“A caracterização e o monitoramento do uso e ocupação da terra servirá como um indicativo das práticas adotadas pelas famílias bem como dos resultados das ações implementadas no projeto”, explica o pesquisador José Pedro Trindade.

         Para o desenvolvimento das ações foram contratados quatro técnicos, selecionados entre as famílias assentadas e assistidas pela Coptil. Esses profissionais serão responsáveis pela replicação das práticas conservacionistas que serão aplicadas nas UACs.

“A ideia é que as propriedades que serão assistidas por esses técnicos reservem uma área de 2 hectares onde serão propostas melhorias no manejo e práticas sustentáveis que garantam a produção e a conservação do solo”, ressalta Volk.

         De acordo com os pesquisadores, as UACs serão utilizadas para a promoção de práticas conservacionistas em relação ao solo, tanto em áreas de pastagens, como em lavouras.

Entre as práticas que serão aplicadas está o plantio direto de espécies forrageiras para alimentação animal ou para cobertura de solo.

Também serão utilizados bioinsumos e insumos alternativos para melhorar a fertilidade dos solos e as características físico-químicas.

“As UACs vão funcionar como espaços de formação continuada dos produtores da região bem como de técnicos que atuam diretamente com as famílias, sempre visando melhorar a produção em conjunto com a conservação dos recursos naturais”, enfatiza Trindade. 

Fernando Goss

Jornalista – Núcleo de Comunicação Organizacional

Embrapa Pecuária Sul

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)

Bagé – RS

fernando.goss@embrapa.br

Telefone: +55 (53) 999257039
www.embrapa.br/pecuaria-sul

www.embrapa.br | fb.com/embrapa | twitter.com/embrapa


Compartilhar