Raça charolês e Embrapa divulgam resultados da PAC e PEA

24 de maio de 2022 Off Por Danielsuzumura
Compartilhar

A Embrapa Pecuária Sul e a Associação Brasileira de Criadores de Charolês (ABCC) divulgam, na próxima quinta-feira, 26 de maio, os resultados da edição de 2022 das provas de Avaliação a Campo (PAC) e de Eficiência Alimentar (PEA). O anúncio ocorre em um dia de campo virtual, com transmissão ao vivo no canal da Embrapa no YouTube (www.youtube.com/embrapa) a partir das 19h.

As provas reuniram 23 exemplares oriundos de cabanhas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Tanto a PAC como a PEA da raça charolês são realizadas nas dependências da Embrapa Pecuária Sul, em Bagé (RS), através de parceria com a ABCC.

Durante o evento, duas palestras vão abordar a nutrição dos animais durante as PAC e PEA, com a pesquisadora da Embrapa, Renata Suñé, atualmente em doutorado, e a metodologia usada para realizar a classificação dos animais de acordo com os critérios técnicos das duas provas, com o pesquisador da Embrapa Marcos Yokoo. Conforme o analista da Embrapa Pecuária Sul e coordenador das provas, Roberto Collares, mais uma vez as provas contaram com excelente nível dos animais, com resultados que vão ajudar no avanço genético da raça charolês. “Os animais bem avaliados nessas provas sem dúvidas estão aptos a espalhar a boa genética charolês em todo o Brasil”, disse.

O presidente da ABCC, Cesar Adams Cezar, destaca o interesse cada vez maior na continuidade da realização das provas em parceria com a Embrapa. “São métodos eficientes, modernos, científicos, que identificam animais com características desejáveis em um grupo contemporâneo, tirando a subjetividade de clima, alimentação e gosto pessoal, para caracteres objetivos, como ganho de peso, e várias características mensuráveis, de carcaça através de ultrassom, também características reprodutivas e a eficiência alimentar, importantíssima hoje dentro dos sistemas de criação de bovinos de corte. E tudo isso com a imparcialidade e credibilidade de uma instituição de pesquisa como a Embrapa”, destacou.

PAC e PEA

A PAC tem como objetivo comparar, dentro de um mesmo ambiente de criação, reprodutores de diferentes criatórios do sul do Brasil, com a finalidade de identificar animais superiores para produção de carne em sistema de pastejo. No final da prova, classificam-se os animais por meio de um índice que pondera cada característica avaliada e as sumariza em um único número para qualificar os animais. Entre as nove características avaliadas, estão aquelas relacionadas ao ganho de peso (45%), seguidas pelas integrantes da avaliação de carcaça por ultrassom (25%), perímetro escrotal (5%) e 25% para os parâmetros subjetivos, como conformação, padrão racial e sexualidade, avaliados por meio de escores visuais por técnicos indicados pela ABCC.

Na prova de eficiência alimentar, o consumo alimentar residual (CAR) mensura a diferença entre o consumo de alimento observado e o consumo estimado para o animal. Desta forma, animais mais eficientes consomem menos alimento que o estimado, apresentando valores negativos de CAR e valores positivos para ganho de peso residual. Além dos índices finais que determinam a classificação dos exemplares em cada uma das provas, os animais ainda são ranqueados em três categorias: “Elite” = animais com índice acima da média + 1 ponto de desvio padrão; “Superior” = animais com índice entre a média e 1 ponto de desvio padrão; e “Comercial” = animais com índice menor que a média.

Por Felipe Santos da Rosa


Compartilhar