Redução de ICMS pelos estados faz recuar preço do etanol

Redução de ICMS pelos estados faz recuar preço do etanol

5 de agosto de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Crédito: iStock

A Agência Nacional de Petróleo, a ANP, divulgou, em levantamento realizado, que o preço médio do etanol no país, o álcool combustível, recuou por volta de 11,84% nas bombas, no comparativo mensal.

A diminuição é resultado da redução do ICMS, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, por quase todos os estados do território nacional.

A iniciativa partiu da sanção de Projeto de Lei pelo Governo Federal, visando reduzir a incidência do imposto sobre combustíveis e a consequente queda do preço.

A redução do ICMS limita em até 18% a alíquota cobrada sobre os combustíveis, tidos como bens essenciais e indispensáveis. O mesmo é válido para outros itens como energia e gás natural.

O imposto é uma das principais fontes de arrecadação dos estados, e financia o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica, o Fundeb, e a saúde estadual, por exemplo.

Em São Paulo, a medida baixou em R$ 0,17 o preço do litro nas bombas. Já em Minas Gerais espera-se que o preço caia até R$ 0,47 por litro.

O preço do etanol é formado por uma cadeia de processos, que vai dos produtores às distribuidoras e aos postos, cabendo a formação do valor final aos donos dos postos.

O menor preço médio encontrado no país foi em Mato Grosso, com R$ 3,91. O maior foi no Amapá, com R$ 6,01.

Com mais de dois terços da frota total de carros composta por veículos flex, ou seja, que podem funcionar com gasolina ou álcool, o barateamento do combustível tende a levar mais pessoas a abastecer.

No entanto, o álcool possui um potencial calorífico menor que o da gasolina. Para valer a pena, o preço deve ser comparado na bomba. Se for inferior a 70% do preço da gasolina, é vantajoso. Caso contrário, a gasolina é a melhor opção.

Governadores cobram vistoria por parte dos consumidores. Helder Barbalho, do Pará, Rodrigo Garcia, de São Paulo, e Waldez Góes, do Amapá, estão entre as autoridades que foram às suas respectivas redes sociais pedirem pela fiscalização.

O Acre, último estado a aderir à mudança, também reduziu o imposto sobre o consumo de energia elétrica.

Romeu Zema, de Minas Gerais, expressou também nas redes que “o ICMS do etanol em Minas passará de 16% para 9%.

Além de seguir aliviando o bolso dos mineiros, a redução do imposto manterá a competitividade do biocombustível, importante gerador de empregos em nosso estado”.

Outro item essencial para as famílias brasileiras, o gás de cozinha pode cair até R$ 3,40 no preço médio do botijão de 13 kg, ao menos em São Paulo, segundo fontes do governo paulista.

No Rio, o botijão deve chegar abaixo da casa dos R$ 100,00. A redução de preço deve ser repassada pelas distribuidoras de gás em um bom momento, principalmente para as famílias de baixa renda e empresas que acabam sofrendo mais com a inflação.


Luisa PereiraLink Builder(11) 948692572


Compartilhar