Representantes do Banco Mundial discutem em MS projeto para investimento de rodovias

Representantes do Banco Mundial discutem em MS projeto para investimento de rodovias

23 de maio de 2024 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Próspero Danielly Escher Anderson Leite 23/maio/2024 11:42 am Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

Uma equipe do Bird (Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento) está em Mato Grosso do Sul para avançar na primeira etapa do projeto de manutenção proativa, adequação a resiliência climática e segurança viária das rodovias de Mato Grosso do Sul. As estradas que serão selecionadas para o financiamento devem cumprir normas sociais e ambientais determinadas pela instituição.

Durante encontro com os representantes do Banco, o governador Eduardo Riedel reforçou o interesse em ser ágil nas ações necessárias para a assinatura do contrato e a secretária especial de Parcerias Estratégicas, Eliane Detoni, destacou a importância da eficiência no serviço público. 

“Pretendemos adotar modelagens contratuais inovadoras, baseadas em produção e desempenho. Com esta perspectiva, estamos buscando aumentar a qualidade e segurança de nossas rodovias e diminuir os custos de manutenção”, ressaltou.

Autorização – No dia 18 de março de 2024, foi publicada no Diário Oficial da União, a resolução da Comissão de Financiamentos Externos – (Cofiex) do Ministério do Planejamento e Orçamento sobre a autorização da operação de crédito entre Mato Grosso do Sul e o Governo Federal com financiamento do Bird.

Por meio do EPE (Escritório de Parcerias Estratégicas) e da Seilog (Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso do Sul), o Governo do Estado é o responsável por desenvolver o programa. O valor máximo a ser contratado é de US$ 200 milhões, com contrapartida de no mínimo 20% do total à União.

O objetivo é garantir acesso sustentável e seguro, por meio de metodologia preventiva na gestão da infraestrutura rodoviária, incluindo modelo de contratos baseados em produção e desempenho e PPP (Parceria Público-Privada). “A estimativa é que em um ano possamos assinar o contrato com o banco”, disse Eliane Detoni. 

Assim é possível garantir oportunidades socioeconômicas ao Estado com integração dos aspectos socioambientais, implantar um modelo proativo de manutenção de pavimento, com contratos no modelo CREMA (PPP e DBM), melhorar as características físicas da infraestrutura rodoviária com estabelecimento de critérios de desempenho e outras medidas para aumentar a segurança.

Com os estudos há espaço também para fomento a descarbonização da logística de transportes, aumento da segurança no acesso aos ambientes de ensino, melhora da eficiência na gestão técnica, ambiental, administrativa e operacional da malha rodoviária e aperfeiçoamento da gestão do transporte com a aquisição de equipamentos, sistemas e capacitação dos servidores.

O novo modelo trará economia aos cofres públicos. “Após a assinatura do contrato serão cinco anos de implantação. Será um programa que estabelece uma nova metodologia de manutenção de curto, médio e longo prazo. A finalidade é perpetuar o programa, porque se você faz uma boa rodovia com um bom modelo de gestão, ao longo dos anos os investimentos serão mais adequados e menos onerosos ao Estado”, explicou Eliane Detoni.

Danielly Escher, Comunicação Governo MS
*com
colaboração de Laine Breda, Comunicação EPE
Foto: Edemir Rodrigues


Compartilhar