‘Sei dos riscos que corro em solo brasileiro’, diz Bolsonaro durante homenagem

‘Sei dos riscos que corro em solo brasileiro’, diz Bolsonaro durante homenagem

19 de agosto de 2023 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Ex-presidente recebeu o título de cidadão goiano, em Goiânia, na noite de sexta-feira, 18

Redação Terra Redação Terra 

19 ago 2023 – 08h06
Compartilhar
Exibir comentários

O ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro posa durante sessão na Assembleia Legislativa de Goiás para receber o título de cidadão goiano, em Goiânia, 18 de agosto de 2023.

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que decidiu retornar ao Brasil, depois de passar três meses nos Estados Unidos, mesmo ‘sabendo dos riscos que corre’ no País. A declaração foi dada durante discurso após receber o título de cidadão goiano, em Goiânia, na noite de sexta-feira, 18.

“Estive três meses nos Estados Unidos, no estado da Flórida, realmente um estado fantástico. Mas apesar de ter sido acolhido muito bem, não existe terra igual a nossa. Sei dos riscos que corro em solo brasileiro, mas não podemos ceder”, disse Bolsonaro.

Notícias relacionadas

Mauro Cid era ajudante de ordens de Jair Bolsonaro Foto: Dida Sampaio/Estadão / Estadão
Dinheiro da venda de Rolex foi para Bolsonaro ou para primeira-dama, diz defesa de Cid
O ex-presidente Jair Bolsonaro disse estar sob efeito de morfina quando curtiu publicação contra o resultado das eleições Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Bolsonaro tem ‘cartas na manga’ e golpe ‘vai dar certo’; leia conversas do comando da PM de Brasília
Nesta quinta-feira, 17, a CPMI do 8 de Janeiro ouviu o hacker Walter Delgatti Foto: MOLINA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Advogado de hacker diz que há provas de encontro com Bolsonaro, mas não do conteúdo da conversa

O ex-presidente e seu entorno são focos de uma investigação realizada por policiais federais para apurar um suposto esquema de negociação ilegal de joias presenteadas por delegações estrangeiras à Presidência da República.

Segundo a Polícia Federal (PF), os valores obtidos dessas vendas foram convertidos em dinheiro em espécie e ingressaram no patrimônio pessoal dos investigados, por meio de pessoas interpostas e sem utilizar o sistema bancário formal, com o objetivo de ocultar a origem, localização e propriedade dos valores.

Na quinta-feira, 17, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra do sigilo bancário de contas no exterior em nome de Bolsonaro, da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, do ex-ajudante de ordens do ex-presidente, Mauro Cid, que está preso, e do general da reserva Mauro César Lourena Cid, pai de Mauro Cid.

Na sexta-feira, 18, o advogado de Mauro Cid, Cezar Bitencourt, disse que o cliente vendeu o rolex e entregou o valor da venda em dinheiro vivo para o ex-presidente ou para a ex-primeira-dama. Já Bolsonaro afirmou que não recebeu nenhum dinheiro.

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!
Fonte: Redação Terra


Compartilhar