TRÁFICO E LAVAGEM: Operação Smurfing bloqueia R$ 1,8 bilhão em 16 estados; suspeito foi preso em MS

TRÁFICO E LAVAGEM: Operação Smurfing bloqueia R$ 1,8 bilhão em 16 estados; suspeito foi preso em MS

19 de março de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

TRÁFICO E LAVAGEM

Operação Smurfing bloqueia R$ 1,8 bilhão em 16 estados; suspeito foi preso em MS

Empresa YZA onde empresária foi presa em Umuarama. Foto: Reprodução

A Polícia Civil de Pernambuco prendeu suspeitos em Corumbá (MS), nesta quinta-feira (17.mar.22), durante a Operação Smurfing, que visa desarticular uma organização criminosa voltada à prática de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro com atuação em 16 estados brasileiros. 

Os presos são empresários e “pessoas comuns” disse o Chefe da PCPE, delegado Nehemias Falcão. No entanto, a polícia não divulgou quantas pessoas, ao todo, já foram presas, nem revelou a identidade de todas elas.

Simultaneamente, foram cumpridos 75 mandados de prisão e 45 de busca e apreensão domiciliar. A justiça determinou ainda o sequestro de bens e bloqueio de ativos para os 16 estados, na ordem de R$ 1,8 bilhão. Os estados de Pernambuco e Mato Grosso são onde mais foram cumpridos mandados. (Veja abaixo).  

No Pernambuco foram cumpridos mandados em: Recife, Petrolina, Cabo de Santo Agostinho, Olinda, Paulista, Limoeiro, Igarassu, Carpina, Abreu e Lima. 

Em Mato Grosso os alvos estavam nos municípios de: Pontes e Lacerda, Comodoro, Cacéres, Várzea Grande, Juina e Cuiabá.  

Na zona rural de Comodoro, no Mato Grosso, o gerente de uma fazenda foi conduzido à delegacia para prestar esclarecimentos, após armas de fogo e munições serem encontradas no local. Além disto, ao lado da casa principal da fazenda, foi identificada uma pista de pouso clandestina. A polícia identificou ao menos 51 propriedades comerciais e residenciais envolvidas no esquema criminoso. Um helicóptero no valor de R$ 5 milhões foi sequestrado pela justiça.  Aeronave apreendida pela Polícia Civil durante cumprimento de mandado da Operação Smurfing  Foto: PCPE/DivulgaçãoAeronave apreendida pela Polícia Civil durante cumprimento de mandado da Operação Smurfing — Foto: PCPE/Divulgação

O site Umuarama News registrou o momento em que a empresária, Isabele Cristina Caldeira da Silva, foi presa em Umuarama, no Paraná. Com ela foi apreendido um revólver. O marido dela, que não teve o nome divulgado, é considerado foragido. Eles são donos da Yza Náutica – uma concessionária Yamaha, que  iniciou suas atividades no ano de 2001 na cidade de Umuarama – PR, representando a Companhia Yamaha Motor, como concessionária da marca.   

Um vídeo feito pelo site O Bendito, mostra a polícia em ação em Umuarama:

Em Maceió, Alagoas: a operação é coordenada pelo gerente da Divisão Especial de Investigações e Capturas (DEIC), delegado Gustavo Xavier, a prisão foi feita pelos agentes do Tático Integrado de Grupos de Resgates Especiais (TIGRE), que cumpriram um mandado de prisão em desfavor de um homem que emprestava a conta para um cunhado que está preso e está sendo acusado de lavagem de dinheiro seria sua participação na organização criminosa.

(Confira lista de cidades, onde tiveram prisões, ao fim da reportagem).

A OPERAÇÃO 

O nome “Smurfing”, faz referência a tipificação de lavagem de dinheiro, que consiste no fracionamento de uma grande quantia em pequenos valores, de modo a escapar do controle administrativo, camuflando assim transferências e operações financeiras.

Segundo a corporação, os mandados foram expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Ipojuca, no Litoral Sul pernambucano. “Nós podemos dizer que é a maior operação da história da Polícia Civil de Pernambuco pelos resultados alcançados e pelas ordens judiciais que estão sendo cumpridas”, destacou Falcão. 

A investigação teve início em Ipojuca, em novembro de 2018. A apuração identificou uma organização criminosa com braços financeiros e operacionais em quase todo o País. 

“Nós temos hoje um dos melhores laboratórios de lavagem de dinheiro do País e uma diretoria de inteligência com núcleos espalhados por todo o Estado. Através de uma operação que foi realizada em 2020, nós passamos a fazer o caminho do dinheiro e chegamos aos destinatários finais desses valores oriundos do tráfico em Pernambuco”, pontuou o delegado. 

Segundo a Polícia Civil, foram identificados “braços” financeiros e operacionais da organização criminosa em vários locais do país. 

A partir da investigação em Ipojuca, os policiais acompanharam o caminho do dinheiro obtido através do tráfico, passando pelos operadores financeiros e empresas utilizadas por uma organização criminosa para lavagem de dinheiro.

As apurações, ainda de acordo com a corporação, revelaram uma relação dos envolvidos com investigados na Bolívia, sobretudo alvos residentes na região de fronteira. As informações indicaram que a região é, provavelmente, uma das rotas pelas quais drogas ilícitas com origem boliviana entram no país.

Na execução da operação, foram empregados 400 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães dos 16 estados. 

OUTROS ESTADOS

Além de Pernambuco e MS, os mandados foram emitidos para Rio Grande do Norte, Amazonas, Piauí, Maranhão, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Goiás, Paraná, Alagoas, São Paulo, Acre, Minas Gerais e Bahia. 

Cidades para onde foram emitidos mandados:

  • Acre: Rio Branco
  • Alagoas: Rio Largo e Maceió
  • Amazonas: Manaus
  • Bahia: Juazeiro
  • Goiás: Trindade, Aparecida de Goiânia e Goiânia
  • Maranhão: São Luís e Estreito
  • Mato Grosso do Sul: Corumbá
  • Mato Grosso: Cuiabá, Várzea Grande, Campo Verde, Juína, Pontes e Lacerda e Comodoro
  • Minas Gerais: Santa Luzia
  • Paraná: Umuarama
  • Pernambuco: Recife, Petrolina, Cabo de Santo Agostinho, Olinda, Paulista, Limoeiro, Igarassu, Carpina, Abreu e Lima.
  • Piauí: Teresina
  • Rio Grande do Norte: Parnamirim e Natal
  • Rondônia: Porto Velho
  • Roraima: Boa Vista
  • São Paulo: São Paulo

MS Notícias


Compartilhar