Verstappen vence e puxa 1-2 da Red Bull no GP da Espanha da F1. Leclerc abandona

Verstappen vence e puxa 1-2 da Red Bull no GP da Espanha da F1. Leclerc abandona

22 de maio de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

F1 2022, GP da Espanha, Barcelona
Foto: XPB Images

Max Verstappen foi o nome do GP da Espanha de F1. Neste domingo (22), com estratégia certeira da Red Bull e abandono de Charles Leclerc, garantiu a vitória e assumiu a liderança da temporada 2022.

O holandês puxou uma dobradinha da equipe austríaca com Sergio Pérez terminando o dia na segunda colocação. George Russell completou o pódio no Circuito de Barcelona.

Um dos principais nomes da prova foi Lewis Hamilton. Após se envolver em um incidente na primeira volta e cair para último, o inglês escalou o pelotão e cruzou a linha de chegada na quinta posição, atrás de Carlos Sainz, quarto.

Saiba como foi o GP da Espanha da F1:

O GP da Espanha marca a sexta etapa da temporada 2022 da F1. No grid de largada, Charles Leclerc era quem largava da pole-position, com Max Verstappen dividindo a primeira fila com o monegasco.

Na escolha dos pneus para o início da disputa, 19 de 20 competidores escolheram o composto mais macio. A única exceção do pelotão era Lewis Hamilton, que saia em sexto e optou pela gama média.

Luzes apagadas e largada autorizada no Circuito de Barcelona. Leclerc conseguiu manter a primeira colocação enquanto George Russell conseguiu dar o bote para se colocar na terceira colocação, deixando Sergio Pérez para trás.

No grupo intermediário, Kevin Magnussen foi tentar ultrapassar o heptacampeão da Mercedes, mas a dupla acabou se tocando. O dinamarquês foi para a caixa de brita, enquanto o inglês teve pneu furado e foi aos boxes.

O piloto que mais ganhou posições desde a largada foi Fernando Alonso. Por uma punição, o bicampeão largou da última posição e após as primeiras voltas, já havia escalado cinco colocações e era 15º.

Com três voltas completadas, a ordem no pelotão era Leclerc, Verstappen, Russell, Pérez, Carlos Sainz, Valtteri Bottas, Mick Schumacher, Daniel Ricciardo, Esteban Ocon e Lando Norris completando o top-10.

No sexto giro, então, enquanto ocupava a 19ª, e penúltima, posição, Hamilton foi para o rádio da Mercedes dizendo que preferia poupar o motor. Mas, em resposta, Bono, seu engenheiro, afirmou que uma oitava colocação ainda era possível.

Quando estava nas primeiras colocações, Sainz cometeu um erro sozinho. O espanhol rodou e foi parar na caixa de brita, conseguiu sair sem grandes problemas, mas acabou caindo para a 11ª colocação.

Pouco depois, foi a vez de Verstappen também escapar do traçado. O atual campeão da F1 saiu na mesma curva que o espanhol da Ferrari, perdendo a segunda colocação e caindo para o quarto posto.

A briga pela segunda colocação estava bastante emocionante. Pérez estava na caçada em cima de Russell, mas em duas tentativas viu o inglês da Mercedes fechar a porta. Pouco depois, o mexicano abriu para deixar o companheiro passar.

Com 16 voltas feitas, a maior parte do pelotão já havia feito a primeira passada nos boxes. Os únicos ainda com o mesmo pneu eram Leclerc, Pérez, primeiro e segundo, respectivamente, e Vettel, sexto.

Verstappen vinha em uma corrida um pouco complicada. Além de ter problemas com a asa móvel sem conseguir abrir, quando foi tentar se aproximar de Russell pelo segundo posto, balançou o carro e quase bateu.

Na volta 22, Charles foi chamado para fazer sua primeira parada da corrida. O monegasco tinha vantagem suficiente e, portanto, voltou na primeira colocação a 5s518 de Russell, segundo colocado.

Quem vinha buscando a recuperação era Hamilton. Após aparecer em último, o inglês aparecia na 14ª colocação, mas foi chamado para os boxes para tentar uma estratégia diferente dos adversários, caindo para 19º.

Verstappen enfim alcançou Russell e a dupla começou uma emocionante briga. O holandês conseguiu ultrapassar rapidamente, mas o inglês deu o troco e os dois ficaram lado a lado, com o piloto da Mercedes levando a melhor.

Na estratégia de pneus, a maior parte do pelotão estava com o pneu médio. Penas cinco pilotos tentavam algo diferente com o macio e eram Schumacher, Ricciardo, Stroll, Vettel e Albon.

De repente, de forma inesperada, Leclerc perdeu potência quando estava na primeira colocação. O monegasco perdeu potência e foi chamado para os boxes, com Russell assumindo a ponta e liderando pela primeira vez uma corrida com a Mercedes.

Pouco depois, o holandês da Red Bull foi para os boxes para a segunda parada da prova. O competidor optou pelo pneu macio, voltando à frente de Sainz, na quarta colocação, e atrás de Bottas.

Agora começou a vez de Pérez tentar a caçada em cima George para pegar a ponta do pelotão. E sem grandes problemas, o mexicano colocou lado a lado por fora para assumir a primeira colocação.

Metade da corrida e a ordem na pista era Pérez, Russell, Verstappen, Bottas, Ocon, Norris, Tsunoda, Sainz, Hamilton e Vettel completando os dez pilotos da zona de pontos.

Quando estava na primeira colocação, Pérez foi para sua segunda parada na corrida. O mexicano voltou a colocar médios e voltou para a pista na segunda colocação, já a 17s de Verstappen, que pulou para a ponta.

Hamilton e Alonso, que chegaram a ocupar o último posto do pelotão, estavam se recuperando aos poucos. Enquanto o inglês já aparecia em sexto, o espanhol figurava na décima colocação.

Verstappen fez mais uma passagem pelos boxes calçando mais uma vez pneus médios. O holandês voltou na segunda colocação, imediatamente atrás de seu companheiro Pérez e à frente de Russell.

Enquanto Sergio estava em primeiro, a Red Bull entrou no rádio para dizer que precisaria abrir para Max. O mexicano dizia que a atitude era injusta, mas que entendia e deixou o companheiro passar.

Russell foi para mais uma parada e calçou o pneu macio para ir até a bandeira quadriculada. O inglês da Mercedes, entretanto, voltou para a pista na quarta colocação, atrás de Bottas.

A dez voltas para a bandeira quadriculada, a dupla da Red Bull estava nas duas primeiras posições. Os companheiros eram seguidos por Russell, Bottas, Sainz, Hamilton, Ocon, Norris, Alonso e Schumacher.

Lewis conseguiu reverter de ótima maneira o incidente da primeira volta. Na fase final da disputa, em uma ultrapassagem em cima de Bottas, o inglês já aparecia na quinta colocação, um posto acima de onde largou.

Não demorou muito e o heptacampeão seguiu escalando o pelotão. Depois de querer abandonar a disputa, fez a ultrapassagem em cima de Sainz para tomar agora o quarto posto.

Na penúltima volta, então, o espanhol da Ferrari começou a se aproximar do competidor da Mercedes. Sainz não viu quase nenhuma resistência do inglês, colocou de lado e tomou a quarta colocação para si.

Verstappen cruzou a linha de chegada na primeira colocação, com Pérez e Russel completando o pódio do dia.

Resultado do GP da Espanha da F1:

1) Max Verstappen (Red Bull)
2) Sergio Pérez (Red Bull)
3) George Russell (Mercedes)
4) Carlos Sainz Jr. (Ferrari)
5) Lewis Hamilton (Mercedes)
6) Valtteri Bottas (Alfa Romeo/Ferrari)
7) Esteban Ocon (Alpine/Renault)
8) Lando Norris (McLaren/Mercedes)
9) Fernando Alonso (Alpine/Renault)
10) Yuki Tsunoda (AlphaTauri/Red Bull)
11) Sebastian Vettel (Aston Martin/Mercedes)
12) Daniel Ricciardo (McLaren/Mercedes)
13) Pierre Gasly (AlphaTauri/Red Bull)
14) Mick Schumacher (Haas/Ferrari)
15) Lance Stroll (Aston Martin/Mercedes)
16) Nicholas Latifi (Williams/Mercedes)
17) Kevin Magnussen (Haas/Ferrari)
18) Alexander Albon (Williams/Mercedes)
OUT) Zhou Guanyu (Alfa Romeo/Ferrari)
OUT) Charles Leclerc (Ferrari)

FMania

Portal Terra


Compartilhar