PMA prende e autua em R$ 3,5 mil dois agrônomos, um empresário, um aposentado e dois pescadores profissionais por pescar em local proibido para a pesca e apreende barco e motor

PMA prende e autua em R$ 3,5 mil dois agrônomos, um empresário, um aposentado e dois pescadores profissionais por pescar em local proibido para a pesca e apreende barco e motor

5 de setembro de 2022 Off Por Ray Santos
Compartilhar

Campo Grande (MS) – O objetivo principal da operação Pesca Legal iniciada em julho pela Polícia Militar Ambiental é a vigilância dos cardumes que começam a ficar maiores em subida dos rios para a reprodução, especialmente, nos locais em que eles são mais vulneráveis, como as cachoeiras e corredeiras. Ontem (3) à tarde, uma equipe de Policiais Militares Ambientais do Grupamento do Distrito de Águas do Miranda (Bonito) realizava fiscalização no rio Miranda, no município de Bonito e prendeu cinco pescadores por pescar em local proibido (corredeira).

Os Policiais chegaram no local denominado Corredeira Saltinho e surpreenderam os pescadores em uma embarcação e em pé dentro do rio, tendo em vista que a água está baixa no local, praticando a pesca predatória com molinetes e carretilhas com varas. Eles iniciavam a pescaria e ainda não tinha capturado nenhum pescado. Os infratores, dois agrônomos, de 33 e 39 anos, residentes respectivamente em Ivinhema e Campo Grande, um empresário de 48 anos e um engenheiro civil aposentado de 74 anos, residentes em Campo Grande e um pescador profissional de 28 anos, residente em Bonito, foram autuados administrativamente e foram multados em R$ 700,00 cada um.

Foram apreendidos: um barco, um motor de popa com tanque, quatro carretilhas e um molinete com varas. Além de multa administrativa, a atitude caracteriza-se crime ambiental e os infratores foram conduzidos à delegacia de Polícia Civil de Bonito e responderão pelo crime de pesca predatória, com pena prevista de um a três anos de detenção.

As normas proíbem a pesca a 200 metros a montante e a jusante das cachoeiras e corredeiras, pois é alta a vulnerabilidade dos cardumes nesses locais dos rios. No local em que o pescador estava, com o rio com pouca água com se encontra, é possível pegar peixe com as mãos. Exatamente porque os cardumes ficam vulneráveis nessas áreas é que existe a proibição da pesca.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL – PMMS – (Contato – TENENTE CORONEL EDNILSON PAULINO QUEIROZ) tel. – 3357-1500

99106-8628 (claro – Whatsapp) (Esse celular é particular para contato dos jornalistas – Favor publicar somente o fixo)


Compartilhar